Microestruturas de pêlos de pequenos mamíferos não-voadores: chave para identificação de espécies de agroecossistemas do Estado de São Paulo, Brasil

Paula Sanches Martin
Universidade de São Paulo
Laboratório de Ecologia Animal, ESALQ, Universidade de São Paulo. Caixa Postal 09, CEP 13418-900, Piracicaba, São Paulo, Brasil.
Carla Gheler-Costa
Universidade de São Paulo
Laboratório de Ecologia Animal, ESALQ, Universidade de São Paulo. Caixa Postal 09, CEP 13418-900, Piracicaba, São Paulo, Brasil.
email: cgcosta@esalq.usp.br
Luciano Martins Verdade
Universidade de São Paulo
Laboratório de Ecologia Animal, ESALQ, Universidade de São Paulo. Caixa Postal 09, CEP 13418-900, Piracicaba, São Paulo, Brasil.

palavras-chave
cutícula, medula; pêlos-guardas, pequenos mamíferos, tricologia


Resumo
Características microestruturais dos pêlos vêm sendo usadas para identificação de espécies em pesquisas taxonômicas, ecológicas, paleontológicas, arqueológicas e forenses. Este estudo tem como objetivo a descrição da estrutura dos pêlos de algumas espécies de pequenos mamíferos não-voadores comumente encontrados em agroecossistemas do Estado de São Paulo. Os pêlos foram coletados do dorso de espécimes previamente identificados coletados em áreas de agricultura (canavial), pastagens, silvicultura (plantio de eucalipto) e fragmentos de vegetação nativa (floresta semidecídua e cerrado). O microscópio óptico apresentou limitações para a descrição do formato e borda das escamas, os quais foram descritos através do uso de microscópio eletrônico de varredura. Uma chave de identificação dicotômica é apresentada para 11 espécies de pequenos mamíferos não-voadores (sete roedores e quatro marsupiais).



Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo, Fapesp
Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, CNPq
© BIOTA NEOTROPICA, 2009