Vol 19 Num 1




Política equivocada pode colocar em risco uma área de preservação ambiental do sul do Brasil

Gustavo Henrique Zaia Alves

Universidade Estadual de Maringá
Av. Colombo, 87020-900, Maringá, PR, Brasil
email: alvesghz@yahoo.com.br

Regiane da Silva Santos

Universidade Estadual de Maringá
Av. Colombo, 87020-900, Maringá, PR, Brasil
Bruno R. S. Figueiredo

Universidade Estadual de Maringá
Av. Colombo, 87020-900, Maringá, PR, Brasil
Gislaine Iachstel Manetta

Universidade Estadual de Maringá
Av. Colombo, 87020-900, Maringá, PR, Brasil
Hugo José Message

Universidade Estadual do Oeste do Paraná
Campus de Toledo, Jd. La Salle, 645, Toledo, PR, Brasil
Laryssa H. R. Pazianoto

Universidade Estadual de Maringá
Av. Colombo, 87020-900, Maringá, PR, Brasil
Gilson Burigo Guimarães

Universidade Estadual de Ponta Grossa
Ponta Grossa, PR, Brasil
Evanilde Benedito

Universidade Estadual de Maringá
Av. Colombo, 87020-900, Maringá, PR, Brasil
Edivando Vitor do Couto

Universidade Tecnologica Federal do Paraná
Campo Mourão, PR, Brasil

palavras-chave
Lei ambiental, Campos Gerais, Escarpa Devoniana, Perda da biodiversidade, Geodiversidade

publicado em: 29/11/2018





Resumo
A Escarpa Devoniana (APAED), localizada no sul do Brasil, representa uma importante área de preservação ambiental composta por campos, matas de galeria, além de afloramentos rochosos e sítios arqueológicos. Atualmente, tramita na câmara dos deputados do estado do Paraná um projeto de lei estadual (PL 527/2016) que sugere a redução da área da APAED em aproximadamente 70% de sua área original (de 393.579 para 125.895 ha). Tal redução parece estar relacionada com interesses econômicos (principalmente agropecuária e mineração) no estado do Paraná. Caso aprovado, o PL 527/2016 permitirá que agricultores expandam suas atividades deliberadamente, tendo como consequência principal a supressão de áreas de floresta nativa. Com isso, espera-se perda de diversidade faunística, contaminação de água e solos e alteração nos ciclos de nutrientes, dado o aumento no uso de agroquímicos. Além das consequências ambientas diretas, podemos esperar o desaparecimento de elevado interesse geológico, reduzindo a geodiversidade local, além de substanciais perdas econômicas com ecoturismo. O Brasil é um dos países signatários da Convenção da Diversidade Biológica das Nações Unidas, onde se compromete a desenvolver estratégias que evitem a perda da biodiversidade e a degradação de ecossistemas até 2020. Assim, a aprovação desse projeto de lei é, no mínimo, contraditória considerando que existem poucas áreas de vegetação natural nessa região do país. Destacamos que a proposta de tais projetos vai contra a sustentabilidade no país e desconsideram o conhecimento científico gerado até então. Dessa forma, é necessário o desenvolvimento de objetivos políticos regionais e federais que garantam o desenvolvimento econômico de forma equilibrada, considerando a bio e geodiversidade local, e não a proposta de mecanismos que as destruam.

como citar este artigo
ALVES, G. H. Z., SANTOS, R. S., FIGUEIREDO, B. R. S., MANETTA, G. I., MESSAGE, H. J., PAZIANOTO, L. H. R., GUIMARÃES, G. B., BENEDITO, B., COUTO, E. V. Misguided policy may jeopardize a diverse South brazilian environmental protection area. Biota Neotropica. 19(1): e20180574. http://dx.doi.org/ 10.1590/1676- 0611-BN-2018-0574



Fundação de Amparo | Pesquisa do Estado de São Paulo, Fapesp
Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, CNPq
© BIOTA NEOTROPICA, 2019