Vol 11 Num 2




Composição da fauna de formigas (Hymenoptera: Formicidae) de serapilheira em florestas semidecídua e de Eucalyptus  spp., na região sudeste do Brasil

Talita de Oliveira Mentone

Universidade de Mogi das Cruzes (UMC)
Núcleo de Ciências Ambientais (NCA) – Laboratório de Mirmecologia, Av. Dr. Cândido Xavier de Almeida e Souza, 200, CEP 08701-970. Mogi das Cruzes, SP, Brasil
Eduardo Arrivabene Diniz

Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Centro de Estudos de Insetos Sociais, CEP: 13506-900, Rio Claro, São Paulo, Brasil
Catarina de Bortoli Munhae

Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Centro de Estudos de Insetos Sociais, CEP: 13506-900, Rio Claro, São Paulo, Brasil
Odair Correa Bueno

Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Centro de Estudos de Insetos Sociais, CEP: 13506-900, Rio Claro, São Paulo, Brasil
Maria Santina de Castro Morini

Universidade de Mogi das Cruzes (UMC)
Núcleo de Ciências Ambientais (NCA) – Laboratório de Mirmecologia, Av. Dr. Cândido Xavier de Almeida e Souza, 200, CEP 08701-970. Mogi das Cruzes, SP, Brasil
email: morini@umc.br

palabras-clave
comunidades, inventário, riqueza, diversidade, manejo

publicado em: 08/04/2011





Resumen
Este estudo teve como objetivo avaliar a composição da fauna de formigas de serapilheira em áreas de floresta semidecídua com plantio de eucalipto sem manejo durante diferentes períodos. Foram estudadas quatro áreas, sendo três com eucalipto e uma formada por vegetação nativa; todas estão localizadas no município de Rio Claro (SP), sudeste do Brasil. Em cada área foram coletadas 100 amostras de 1m2 de serapilheira, abrangendo os períodos seco e chuvoso da região. Cada amostra foi submetida a extratores do tipo mini-winkler, onde permaneceram por 48 horas. Foram amostradas 58.410 formigas, distribuídas em 10 subfamílias, 42 gêneros e 120 morfoespécies/espécies. Destas, 85 espécies foram encontradas na floresta semidecídua e 84 na floresta de Eucalyptus  tereticornis  com 100 anos sem manejo. Já nas florestas de E.  tereticornis  e E.  urophylla  com 22 anos sem manejo foram encontradas 73 e 56 espécies, respectivamente. Baseando-se em estudos anteriores, este inventário proporcionou o conhecimento de mais 16 gêneros e 24 espécies para a região estudada, sendo três exóticas. A ordenação das amostras com o escalonamento multidimensional não-métrico (NMDS) indicou diferença na similaridade entre as amostras das áreas, especialmente àquelas pertencentes à floresta de E.  urophylla  . Além do período sem manejo, a presença de substâncias alelopáticas na serapilheira pode estar interferindo no número de espécies e nas comunidades. Os resultados demonstram a importância das florestas abandonadas de eucaliptos para a manutenção da diversidade de formigas em uma região em que a vegetação nativa é escassa.

como citar este artículo
Mentone, T. de O.; Diniz, E. A.; Munhae, C. de B.; Bueno, O. C. e Morini, M. S. de C. Composição da fauna de formigas (Hymenoptera: Formicidae) de serapilheira em florestas semidecídua e de Eucalyptus  spp., na região sudeste do Brasil. Biota Neotrop.  Abr/Jun 2011 vol. 11, no. 2 https://www.biotaneotropica.org.br/v11n2/pt/abstract?article+bn00511012011 ISSN 1676-0603.

Espécies citadas
check for this species in other resources Eucalyptus 
check for this species in other resources Eucalyptus  tereticornis 
check for this species in other resources Eucalyptus  urophylla 



Fundação de Amparo | Pesquisa do Estado de São Paulo, Fapesp
Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, CNPq
© BIOTA NEOTROPICA, 2011