Vol 10 Num 4




Impactos potenciais das mudanças propostas no Código Florestal Brasileiro sobre os répteis brasileiros

Otavio A. V. Marques

Instituto Butantan
Laboratório de Ecologia e Evolução. Av. Dr. Vital Brasil, 1500. 05503-900 São Paulo, São Paulo, Brasil
email: otaviomarques@butantan.gov.br

Cristiano Nogueira

Universidade de Brasília
Departamento de Zoologia. 70910-900 Brasília, Distrito Federal, Brasil
Marcio Martins

Universidade de São Paulo
Departamento de Ecologia, Instituto de Biociências. 05508-090 São Paulo, São Paulo, Brasil
Ricardo J. Sawaya

Universidade Federal de São Paulo
Departamento de Ciências Biológicas, Rua Prof. Artur Riedel, 275, 09972-270 Diadema, São Paulo, Brasil

palavras-chave
Répteis, Código Florestal Brasileiro, perda de habitat, extinção

publicado em: 10/15/2010





Resumo
Avaliamos os impactos potenciais sobre a fauna brasileira de répteis (721 espécies descritas até o momento), caso sejam adotadas mudanças propostas por um substitutivo do atual Código Florestal Brasileiro. A possibilidade de compensação ambiental (obrigação legal no caso de degradação de habitats naturais) em bacias ou microbacias distintas daquelas degradadas seria uma das modificações do código vigente que prejudicaria a manutenção da diversidade de répteis. Alguns gêneros de répteis são compostos por espécies que raramente co-ocorrem em uma mesma área. Assim, ações de conservação em escalas reduzidas, em unidades naturais como microbacias, seriam mais adequadas para representar a variação da composição de espécies entre áreas. O substitutivo prevê a exclusão de topos de montanhas como Área de Preservação Permanente (APP), bem como a redução da largura das matas marginais a cursos d'água (que também são APPs). Diversos répteis brasileiros estão restritos a áreas de altitude, ao passo que outros vivem somente ou principalmente em matas de galeria ou áreas ripárias. Assim, a perda de habitat nessas áreas deve tornar alguns répteis vulneráveis a extinção. A proposta também autoriza a recuperação de Reservas Legais (RL) usando espécies de plantas exóticas. Há evidências que muitos répteis brasileiros não conseguem sobreviver em ambientes alterados pelo homem, incluindo as florestas constituídas por espécies exóticas. A proposta também tornará possível compensar RL dentro de unidades de conservação. Entretanto, as unidades de conservação existentes não seriam suficientes para a manutenção da diversidade de répteis no Brasil (principalmente porque muitas espécies têm distribuição restrita). Se adotadas, as mudanças propostas ao Código Florestal Brasileiro terão fortes impactos sobre a fauna de répteis brasileira, um importante componente do patrimônio natural do país. Além disso, moléculas com potencial farmacêutico, presentes nos venenos de muitas espécies, poderão ser perdidas.

como citar este artigo
Marques, O.A.V.; Nogueira, C.; Martins, M. e Sawaya, R.J. Impactos potenciais das mudanças propostas no Código Florestal Brasileiro sobre os répteis brasileiros. Biota  Neotrop . Oct/Dec 2010 vol. 10, no. 4 https://www.biotaneotropica.org.br/v10n4/pt/abstract?article+bn00510042010. ISSN 1676-0603.



Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo, Fapesp
Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, CNPq
© BIOTA NEOTROPICA, 2010