Vol 7 Num 3




Anfíbios e répteis do Parque Nacional da Serra da Bodoquena, Mato Grosso do Sul, Brasil

Masao Uetanabaro

Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
Centro de Ciências Biológicas e da Saúde, Departamento de Biologia, C.E.P. 79070-900, Campo Grande, MS, Brasil
email: masao.uetanabaro@gmail.com

Franco Leandro Souza

Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
Centro de Ciências Biológicas e da Saúde, Departamento de Biologia, C.E.P. 79070-900, Campo Grande, MS, Brasil
email: flsouza@nin.ufms.br

Paulo Landgref Filho

Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
Programa de Pós-Graduação em Ecologia e Conservação, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Centro de Ciências Biológicas e da Saúde, C.E.P. 79070-900, Campo Grande, MS, Brasil
email: paulograf@yahoo.com.br

Arlindo Figueira Beda

Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
Campus de Aquidauana, Praça N. S. Conceição, 163, C.E.P. 79200-000, Aquidauana, MS, Brasil
email: afbeda@gmail.com

Reuber Albuquerque Brandão

Universidade de Brasília
Departamento de Engenharia Florestal - EFL, Faculdade de Tecnologia, Universidade de Brasília, C.E.P. 70910-900, Brasília, DF, Brasil
email: reuberbrandao@yahoo.com.br

palavras-chave
anfíbios, répteis, inventário faunístico, Parque Nacional da Serra da Bodoquena

publicado em: 06/09/2007





Resumo
O Estado de Mato Grosso do Sul situa-se na porção mediana da grande diagonal de formações abertas da América do Sul, uma região que abriga uma grande diversidade de anfíbios e répteis, sendo algumas endêmicas. Apesar de sua importância biogeográfica, essa diagonal tem sido pouco considerada em estudos com abrangência regional. Dentre os componentes fitofisionômicos que compõem essa região e cuja representatividade se faz presente no Estado, as matas estacionais deciduais são elementos marcantes na região da Serra da Bodoquena. Devido a peculiaridade desse ambiente, muitas áreas ainda necessitam de uma maior avaliação quanto à sua biodiversidade. Informações sobre a herpetofauna do Parque Nacional da Serra da Bodoquena são escassas e pontuais e sugerem uma semelhança com a fauna de cerrado. Este trabalho apresenta registros da herpetofauna do Parque Nacional da Serra da Bodoquena e regiões de entorno, abrangendo áreas em bom estado de conservação e locais com atividade agropecuária. As amostragens foram realizadas em dois períodos, contemplando as estações seca e chuvosa na região. O inventário consistiu em busca ativa limitada por tempo, além de registros oportunísticos. Informações sobre a riqueza de espécies da herpetofauna da Caatinga, Cerrado e Chaco foram compiladas da literatura e comparadas com aquela registrada no presente trabalho. Foram registradas 64 espécies, sendo 38 anfíbios e 25 répteis. Muitas das espécies estavam associadas a ambientes particulares, como matas de galeria e afloramentos rochosos. A maior similaridade da herpetofauna do Parque Nacional da Serra da Bodoquena deu-se com aquela encontrada no Cerrado, provavelmente porque a área está inserida nesse bioma. Considerando-se a diversidade de hábitats da área, provavelmente o número de espécies deverá aumentar com a realização de novos inventários na região. Agregar novas informações sobre a herpetofauna da Serra da Bodoquena é fundamental para o plano de manejo do Parque Nacional.

como citar este artigo
Uetanabaro, M, Souza, F.L., Landgref Filho, P., Beda,A.F. e Brandão, R.A. Anfíbios e répteis do Parque Nacional da Serra da Bodoquena, Mato Grosso do Sul, Brasil. Biota Neotrop. Sep/Dez 2007 vol. 7, no. 3 http://www.biotaneotropica.org.br/v7n3/pt/abstract?article+bn01207032007 ISSN 1676-0603.



Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo, Fapesp
Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, CNPq
© BIOTA NEOTROPICA, 2007